Indústria 5.0: ela existe? qual deles? Como implementá-lo?

Nos últimos anos, a Indústria 5.0 tem sido discutida e apontada como uma “devolvedora” dos meios de produção. No entanto, a popularidade da Indústria 4.0 não faz muito tempo, fez muitas pessoas questionarem se realmente há outra revolução industrial acontecendo.

De algumas perspectivas, a resposta a esta pergunta é um retumbante “sim”. Graças à tecnologia digital, a Indústria 4.0 tornou-se possível e seus processos estão cada vez mais automatizados, enquanto a Indústria 5.0 visa combinar a revolução dos métodos de produção digital com a humanização, que muitos estudiosos acreditam ter se perdido no desenvolvimento tecnológico.

Portanto, pode-se dizer que o surgimento da Indústria 5.0 não é um meio para substituir as práticas atuais, mas sim uma evolução natural. Enquanto o 4.0 propunha uma revolução por meio da conectividade e foco na execução de processos, o 5.0 agrega essas características às habilidades criativas e cognitivas humanas, que podem aumentar muito quando combinadas com a tecnologia.

Portanto, mais detalhes sobre esse modo de produção e suas principais características e efeitos serão discutidos ao longo do artigo. Para saber mais, continue lendo.

A Indústria 5.0 existe?

Pode-se dizer que a Indústria 5.0 é um processo de evolução contínua. Dito isso, está acontecendo agora, ainda não está totalmente consolidado. Dessa forma, sua criação coincide com o surgimento da Indústria 4.0, que propõe a integração entre homem e máquina.

Assim, diante das mudanças propostas pela Indústria 5.0, os sistemas inteligentes passarão a ter um toque humano e mais pessoal. O objetivo é fornecer automação com maior precisão com base nas habilidades cognitivas e críticas humanas.

Dessa forma, o momento atual da produção industrial pode ser descrito como uma reumanização do processo sem perder de vista os benefícios que a tecnologia traz. Os insights que ele traz, combinados com a engenhosidade humana, beneficiarão indústrias de todos os tipos e melhorarão a experiência do consumidor.

O que é a Indústria 5.0?

Com foco no resgate dos aspectos humanos da produção, a Indústria 5.0 é uma evolução natural da Indústria 4.0, que ainda hoje domina o ambiente de negócios.

Assim, surge uma “nova era” no desenvolvimento de áreas como as tecnologias de informação e comunicação (TIC), inteligência artificial (IA) e robótica. Combinados, eles levarão gradualmente à integração de sistemas ciberfísicos (CPS) e poderosos dispositivos de Internet das Coisas (IoT).

Portanto, a Indústria 5.0 pode ser descrita como a combinação de todas essas tecnologias com as habilidades humanas para poder agregar valor à produção desde que atenda às necessidades específicas dos clientes e garanta a customização dos produtos, que é um dos desafios da Indústria 4.0 .

Então, é seguro dizer que a Indústria 5.0 está se consolidando porque a tecnologia sozinha não vai funcionar. Isso está sendo percebido gradativamente porque enquanto a automação é uma realidade para a maioria dos processos, não é possível ter outros processos executados por máquinas.

A “nova era” industrial pretende assim apostar mais na capacidade de otimização do ser humano, resultando em produtos cada vez mais hiperpersonalizados. Toda a jornada depende de duas etapas importantes: interconexão e suporte cognitivo.

Interconexão

A colaboração homem-máquina é fundamental para a Indústria 5.0. Portanto, os robôs industriais, bem como os cobots, desempenharão um papel fundamental neste processo. É através deles que a capacidade de customização será alta, capaz de preencher as lacunas que existem atualmente no campo do design, e obrigar as empresas a promoverem serviços massificados.

No entanto, por mais importantes que sejam os robôs, eles não estarão na vanguarda da revolução proposta pela Indústria 5.0, mas a inteligência humana, que terá a oportunidade de estar na vanguarda do processo produtivo e mostrar seu valor mais do que nunca.

Suporte cognitivo

Será possível automatizar processos com capacidades crescentes por meio do suporte cognitivo que os humanos fornecem às máquinas. Portanto, a Indústria 5.0 também tomará medidas para eliminar a ameaça da automação aos empregos.

Isso porque a atuação profissional acontecerá de forma integrada com o robô. Essa ideia tornou-se possível quando as empresas finalmente perceberam que a tecnologia por si só não era suficiente para concluir com eficiência seus processos, especialmente no campo da criação.

Portanto, embora os dados e análises possibilitados pela Indústria 4.0 sejam ricos e interessantes de várias maneiras, alcançar a combinação perfeita de eficiência e produtividade no mundo dos negócios requer um equilíbrio.

Quais são os objetivos da Indústria 5.0?

Dados os fatos relevantes, pode-se dizer que os objetivos da Indústria 5.0 são sobre a criação de valor além dos resultados financeiros. Assim, a transformação que busca viabilizar conecta questões como qualidade de vida e sustentabilidade, cada vez mais discutidas na sociedade moderna.

Além disso, os pontos sublinhados não são considerados apenas em um contexto industrial. A partir das mudanças propostas pelo novo modo de produção, a sociedade ganhou mais peso no processo fabril, de modo que os consumidores e as comunidades do entorno da determinada indústria passaram a ser o centro do problema.

Portanto, a integração da Indústria 5.0 melhorará os seguintes aspectos:

  • Inclusão: A inclusão está associada à contratação de colaboradores que agregam diversidade à equipe, possibilitando a consideração de medidas de impacto transversais aos setores sociais;
  • Sustentabilidade: A preocupação com o meio ambiente tornou-se prioridade para indústrias que repensam desde a destinação dos resíduos até os materiais utilizados na fabricação de seus produtos;
  • Qualidade de vida: Ao fornecer inclusão e sustentabilidade às comunidades ao redor da indústria, bem como aos funcionários, eles podem impactar diretamente a qualidade de vida.

Quais são as tecnologias e implicações da Indústria 5.0?

O bom funcionamento da Indústria 5.0 depende de uma série de fatores para concretizar seu potencial tecnológico e cognitivo. Algumas ainda estão em construção, com foco no desenvolvimento estratégico e operacional.

  • Computação de ponta;
  • Biotecnologia;
  • Nanotecnologia;
  • Análise escura;
  • Manufatura aditiva;
  • Aprendizado de máquina;
  • Computação quântica;
  • Internet das Coisas – Internet das Coisas;
  • Cobots – robôs colaborativos;
  • Inteligência artificial – inteligência artificial;
  • Robótica Avançada.

Como implementar a Indústria 5.0?

A Indústria 5.0 ainda está em fase de desenvolvimento e a implementação requer paciência. Além disso, trata-se de uma mudança sem precedentes nos processos de negócios, pois nenhuma tecnologia se fundiu totalmente com o ser humano em nenhum outro momento da história.

Portanto, há alguns aspectos específicos a serem seguidos:

  • Adote novas tecnologias: A Indústria 5.0 não pode funcionar efetivamente sem novas tecnologias. Portanto, eles precisam ser implementados na empresa. Mas o processo costuma ser lento e exige esforço e investimento;
  • Necessidades de investimento: Ainda sobre investimentos, é importante ressaltar que eles não sairão baratos. Por exemplo, os robôs colaborativos, importantes para a implementação da Indústria 5.0, não estão disponíveis a um preço acessível. Portanto, é uma questão de longo prazo fazer as melhorias necessárias na linha de produção;
  • Mão de obra: Um pré-requisito para a adaptação à Indústria 5.0 são funcionários qualificados que, em muitos casos, precisam lidar com tecnologias muito distantes das realidades de trabalho atuais.

Além disso, eles também precisam aprender a cooperar com o robô. Portanto, a formação também precisa ser um caminho antes de ingressar na revolução industrial em curso.
Além disso, outro aspecto que merece destaque é que muitas empresas, principalmente as pequenas e médias, ainda enfrentam o desafio de implementar a Indústria 4.0 em seu dia a dia. Isso acontece principalmente devido ao investimento e treinamento de pessoal necessário.

Portanto, migrar para cenários mais desafiadores atualmente não é uma opção viável. Como resultado, a implementação da Indústria 5.0 costuma ser lenta nos estágios iniciais, e apenas grandes empresas podem experimentar essa adaptação pela primeira vez.

Mas algumas tecnologias já podem ser adotadas nos processos de negócios como forma de começar a fazer parte do futuro e da Indústria 5.0. Portanto, a opção de digitalizar processos que ainda são feitos manualmente ou de forma híbrida pode ser um primeiro passo interessante.

Outro ponto que pode favorecer a adaptação é a adoção do Eterprise Resource Planning (ERP), que consiste em um sistema de gestão integrado e confiável para o gerenciamento dos dados da empresa. Por serem parte essencial da revolução proposta pela Indústria 4.0, essa será uma forma de iniciar esse caminho

O caminho para o futuro.

Isso porque o ERP permite um diagnóstico aprofundado sobre o que deve ser feito para reduzir os custos de uma empresa e aumentar a produtividade. Portanto, com base nisso, ajustes podem ser feitos e os investimentos necessários em tecnologia para implementar a Indústria 5.0 no futuro.